Faça download dos Aplicativos de Leitura Kindle Gratuitos e comece a ler eBooks Kindle nos mais populares smartphones, tablets e computadores pessoais. Para enviar o link de download para seu smartphone por SMS, use o formato internacional sem espaços (Código Internacional+DDD+Número. Exemplo: +551199999999)

  • Apple
  • Android
  • Windows Phone
  • Android

Para receber o link de download digite seu celular:

Preço digital sugerido: R$ 14,00
Preço Kindle: R$ 13,90

Economize
R$ 17,10 (55%)

Leia à vontade. Mais de 1 milhão de eBooks Saiba mais
Leia de graça
OU
OU

Essas promoções serão aplicadas a este item:

Algumas promoções podem ser combinadas; outras não são elegíveis. Para detalhes, por favor, acesse os Termos e Condições dessas promoções.

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Anúncio do aplicativo do Kindle

O Navio Negreiro e Outros Poemas (Clássicos Melhoramentos) eBook Kindle

5.0 de 5 estrelas 2 avaliações de clientes

Ver todos os 2 formatos e edições Ocultar outros formatos e edições
Preço
Novo a partir de Usado a partir de
eBook Kindle
"Tente novamente"
R$ 13,90

Número de páginas: 144 páginas Configuração de fonte: Habilitado Page Flip: Habilitado
Idioma: Português

Kindle Unlimited
Kindle Unlimited
Leia este e mais de 1 milhão de eBooks de graça com Kindle Unlimited. Saiba mais.

Descrições do Produto

Descrição do produto

Como principal representante da poesia condoreira no Brasil, Castro Alves se utiliza de uma linguagem eloquente e grandiosa para denunciar os horrores da escravidão e lutar pela liberdade dos escravos. Nesta coletânea, destaca-se "O navio negreiro", poema épico-dramático que narra o tráfico de negros trazidos da África para trabalhar como escravos no país.


As atrocidades do sistema escravista ganham vida nestes poemas e transmitem toda a sensação de dor e privação das vítimas desse sistema.


Detalhes do produto

  • Formato: eBook Kindle
  • Tamanho do arquivo: 8542 KB
  • Número de páginas: 184 páginas
  • Editora: Editora Melhoramentos; Edição: 1 (6 de maio de 2015)
  • Vendido por: Amazon Servicos de Varejo do Brasil Ltda
  • Idioma: Português
  • ASIN: B00X872YBU
  • Dicas de vocabulário: Não habilitado
  • Leitor de tela: Compatível
  • Configuração de fonte: Habilitado
  • Avaliação média: 5.0 de 5 estrelas 2 avaliações de clientes
  • Lista de mais vendidos da Amazon: #7,306 entre os mais vendidos na Loja Kindle (Conheça os 100 mais vendidos na Loja Kindle)

Quais outros itens os consumidores compraram após visualizar este item?

Avaliação de clientes

5 estrelas
2
4 estrelas
0
3 estrelas
0
2 estrelas
0
1 estrela
0
Confira as duas avaliações de clientes
Compartilhe suas ideias com outros clientes

Principais avaliações de clientes

Formato: eBook Kindle
O Navio Negreiro foi escrito por Castro Alves em 1868, é um dos seus poemas mais prestigiados. O poema tem como subtítulo “Tragédia no Mar“, possui seis cantos que narram a trajetória marítima de uma embarcação que transporta escravos, apresentando a maneira brutal com que eles são tratados, assim como a privação de direitos e de liberdade que os mesmos sofrem.

Essa questão foi constantemente abordada pelos românticos brasileiros (Romantismo), pois ao buscar a identidade nacional (se desvencilhando de Portugal) ganhavam autonomia para escrever. Assim, O Navio Negreiro possui uma estrutura diferente da seguida pelos árcades (sonetos com versos decassílabos; tradição épica) quando apresenta uma liberdade formal.

Castro Alves é conhecido como o “poeta dos escravos” devido aos seus poemas sociais em que denunciava a escravidão com indignação e expressividade. Quando O Navio Negreiro foi escrito o tráfico de escravos já havia sido proibido no Brasil (Lei Eusébio de Queirós – 1831), porém ainda persistiam as consequências disso. Há uma forte denúncia da condição miserável e desumana e das dificuldades dos negros durante a travessia da África para o Brasil.

Capa do livro O Navio Negreiro

Resumo
O poema é dividido em seis partes. Na primeira parte é descrita a atmosfera tranquila. Na segunda, são descritos os marinheiros de distintas nacionalidades, que são nobres e corajosos. Na terceira, é apresentada a denúncia ao tráfico negreiro.

Na quarta, são descritos os castigos e crueldades de um navio negreiro.
Saiba mais ›
Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Por Leila Gonçalves AVALIADOR Nº 1 em 28 de março de 2016
Formato: Capa comum
Castro Alves (1847-1871) foi um poeta de seu tempo. Influenciado pela atmosfera libertária que empolgava os jovens intelectuais durante a segunda metade do século XIX, ele abraçou a causa abolicionista ainda adolescente.

Aos 21 anos, em 1868, escreveu aquela que seria sua obra-prima, o poema " O Navio Negreiro". Nessa época, já vigorava a Lei Euzebio Queiroz, promulgada em 1850, que proibia o comércio de escravos. Infelizmente, ela não era obedecida e continuavam desembarcando inúmeros navios negreiros em nossa costa.

Quanto ao poema, ele está dividido em seis partes e apresenta um eu lírico não identificado que, sobrevoando os céus, louva a beleza em alto-mar, enquanto observa uma embarcação. Ao se aproximar, descobre que é um navio negreiro e dali em diante, os versos mudam de tom.

Horrorizado, o eu-lírico descreve um espetáculo dantesco que espelha fome, miséria, doenças e tortura. Revoltado, suplica a intervenção divina ou da própria natureza para que essa crueldade tenha fim, remetendo a importância dos povos africanos, reduzidos a mais vil condição humana.

Finalmente, Castro Alves cobra do país a responsabilidade pela situação e conclama os heróis da conquista do Novo Mundo para que impeçam que essa tragédia continue.

Infelizmente esses versos sesquicentenários continuam atuais. Basta observar os barcos atolados de refugiados que cortam os mares, carregando miséria, desencanto e um resto de esperança.

Leitura fundamental, merece uma constelação de estrelas.
4 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
click to open popover