Faça download dos Aplicativos de Leitura Kindle Gratuitos e comece a ler eBooks Kindle nos mais populares smartphones, tablets e computadores pessoais. Para enviar o link de download para seu smartphone por SMS, use o formato internacional sem espaços (Código Internacional+DDD+Número. Exemplo: +551199999999)

  • Apple
  • Android
  • Windows Phone
  • Android

Para receber o link de download digite seu celular:

Preço Kindle: R$ 3,80
Leia à vontade. Mais de 1 milhão de eBooks Saiba mais
Leia de graça
OU
OU

Essas promoções serão aplicadas a este item:

Algumas promoções podem ser combinadas; outras não são elegíveis. Para detalhes, por favor, acesse os Termos e Condições dessas promoções.

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Anúncio do aplicativo do Kindle

O Romance do Horto eBook Kindle

5.0 de 5 estrelas 1 avaliação de cliente

Ver todos os formatos e edições Ocultar outros formatos e edições
Preço
Novo a partir de Usado a partir de
eBook Kindle, 9 fev 2013
"Tente novamente"
R$ 3,80

Número de páginas: 474 páginas Configuração de fonte: Habilitado Page Flip: Habilitado
Idioma: Português

Novidades da Loja Kindle
Novidades da Loja Kindle
eBooks novos para sua biblioteca digital. Veja aqui

Descrições do Produto

Descrição do produto

O Romance do Horto conta a origem de um livro medieval feito no mosteiro de Alcobaça, Portugal, em meados do século XIV, chamado Orto do Esposo. Escrito anonimamente a partir de um pedido de uma monja que também permaneceu anônima, não se sabe se o livro foi ou não entregue à sua requerente. Para contar essa história, o autor António Corvo criou personagens como o menestrel D. Tadeu Laras que, juntamente com o monge D. Alberto Raposo, percorrerão desde a França até a Ilha do Corvo, nos Açores, passando por terras míticas com o País da Cocanha, na tentativa de encontrarem o misterioso autor do Orto do Esposo e seu livro, e fazê-lo chegar às mãos de quem o encomendara. Durante sua busca, enfrentarão as grandes crises políticas e econômicas de Portugal do século XIV, e terão que lidar com personagens como D. Pedro I, o Cruel, D. Inês de Castro, o rei D. Dinis e seu filho, D. Afonso, entre outros. E também encontrarão personagens fantásticos como Narciso e a Esfinge, a bruxa Sorgin, o cachorro Guinefort, São Bertalião e São Brandão, isso apenas para citar alguns. Tudo isso tentando evitar que Maurrice LeClerc, o Coruja Negra, ponha a perder a jornada dos dois aventureiros, que podem sempre contar com a ajuda do Coruja Escarlate, cuja identidade secreta é conhecida apenas pelo bibliotecário-mor de Alcobaça, D. Hermenegildo de Tancos.
O livro, escrito como se fosse um texto medieval, é uma metaficção, o que torna o jogo literário de realidade e fantasia muito mais intenso, e acaba por aproximar o leitor de uma experiência muito próxima de estar lendo um autêntico manuscrito medieval.
A alternância entre vários autores e copistas que vão construindo o texto à medida que ele é lido faz com que o leitor chegue a duvidar da existência do próprio livro. Os comentários e glosas de observadores e leitores, criaturas fantásticas e mitológicas, narrativas oníricas e a presença do próprio livro enquanto autor de si mesmo tecem uma rede de referências, autorreferências e intertextualidades na qual ao leitor só resta entregar-se e acreditar, ou não, que está lendo uma história que presumidamente existe.
Uma das ferramentas da metaficção é que o texto sabe que está sendo lido, que os personagens sabem que são personagens e que o leitor é chamado diretamente a repensar suas convicções sobre narrativa ficcional; a quebra da quarta parede.
António Corvo cria um labirinto dentro de um labirinto, responde perguntas com outras perguntas mas consegue dar sentido a toda a história, a todos os seus narradores, a todas as versões com uma linha narrativa bem definida e coesa. É a lógica do caos, a unidade da diversidade.
Os diálogos dentro de mosteiros e castelos, entre monges e nobres, dão ao leitor a nítida impressão de estarem lendo um texto alterado várias vezes, escrito a várias mãos, seja pela alternância entre os pronomes pessoais e de tratamento, seja pelo estilo de narrativa que parece querer se impor a tantas intromissões autorais. O que poderá parecer ao leitor mais desatento uma simples falta de revisão, é na verdade uma construção narrativa cuidadosa, feita para que o leitor de fato se pergunte: mas quem escreveu isso afinal?
O autor, contudo, está situado temporal e espacialmente. Mas, quando se coloca como mais um autor, talvez o mais tardio, de uma obra que já vem sido escrita e reescrita há séculos, ele não pode ignorar essa distância, e é por isso que, durante a sua versão dO Romance do Horto, escolhe alguns outros personagens clássicos da literatura mundial para preencherem essa distância com suas próprias versões do livro que, por sua vez, os recria em sua própria versão. Quem narra quem? Essa é a grande pergunta teórico-filosófica dO Romance do Horto, que é feita em segundo plano durante a leitura de uma ficção divertida e complicada, no bom sentido, no sentido do exercício literário, no sentido de permitir ao leitor construir seu próprio sentido para o livro.

Detalhes do produto

  • Formato: eBook Kindle
  • Tamanho do arquivo: 2326 KB
  • Número de páginas: 474 páginas
  • Editora: António Corvo; Edição: 1 (9 de fevereiro de 2013)
  • Vendido por: Amazon Servicos de Varejo do Brasil Ltda
  • Idioma: Português
  • ASIN: B00BE08OO4
  • Dicas de vocabulário: Não habilitado
  • Leitor de tela: Compatível
  • Configuração de fonte: Habilitado
  • Avaliação média: 5.0 de 5 estrelas 1 avaliação de cliente
  • Lista de mais vendidos da Amazon: #142,287 entre os mais vendidos na Loja Kindle (Conheça os 100 mais vendidos na Loja Kindle)

Avaliação de clientes

5 estrelas
1
4 estrelas
0
3 estrelas
0
2 estrelas
0
1 estrela
0
Veja todas as avaliações de consumidores
Compartilhe suas ideias com outros clientes

Principais avaliações de clientes

Sim, atendeu as minhas expectativas, é enigmático inicialmente, aborda um tema ousado, ao mesmo tempo épico e atemporal e a capacidade de abstração e simbolismo do autor é interessante!
Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
click to open popover