Faça download dos Aplicativos de Leitura Kindle Gratuitos e comece a ler eBooks Kindle nos mais populares smartphones, tablets e computadores pessoais. Para enviar o link de download para seu smartphone por SMS, use o formato internacional sem espaços (Código Internacional+DDD+Número. Exemplo: +551199999999)

  • Apple
  • Android
  • Windows Phone
  • Android

Para receber o link de download digite seu celular:

Preço Kindle: R$ 0,00

Economize
R$ 14,90 (100%)

Essas promoções serão aplicadas a este item:

Algumas promoções podem ser combinadas; outras não são elegíveis. Para detalhes, por favor, acesse os Termos e Condições dessas promoções.

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Anúncio do aplicativo do Kindle

Sejamos todos feministas eBook Kindle

4.7 de 5 estrelas 152 avaliações de clientes

Ver todos os 2 formatos e edições Ocultar outros formatos e edições
Preço da Amazon
eBook Kindle
"Tente novamente"
R$ 0,00
Capa comum
"Tente novamente"

Número de páginas: 36 páginas Configuração de fonte: Habilitado Page Flip: Habilitado
Idioma: Português

eBooks na Loja Kindle
eBooks em oferta na Loja Kindle
Todos os dias, novos eBooks com desconto. Vem.

Descrições do Produto

Descrição do produto

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo. "A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente. "Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: 'Você apoia o terrorismo!'". Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e — em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são "anti-africanas", que odeiam homens e maquiagem — começou a se intitular uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens". Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade.

Detalhes do produto

  • Formato: eBook Kindle
  • Tamanho do arquivo: 3714 KB
  • Número de páginas: 36 páginas
  • Editora: Companhia das Letras (26 de setembro de 2014)
  • Vendido por: Amazon Servicos de Varejo do Brasil Ltda
  • Idioma: Português
  • ASIN: B00NXYVW4S
  • Dicas de vocabulário: Não habilitado
  • Configuração de fonte: Habilitado
  • Avaliação média: 4.7 de 5 estrelas  Ver todas as análises (152 avaliações de clientes)
  • Lista de mais vendidos da Amazon: #22 entre os mais baixados gratuitamente na Loja Kindle (Conheça os 100 mais baixados gratuitamente na Loja Kindle)

Quais outros itens os consumidores compraram após visualizar este item?

Avaliação de clientes

Principais avaliações de clientes

Formato: eBook Kindle Compra verificada
Sejamos Todos Feministas é um ensaio, uma adaptação do discurso que a autora fez no TEDx Euston. Nascida na cidade de Enugu, Nigéria, em 2014 foi eleita como uma dos 39 escritores mais importantes com idade inferior a 40 anos, sendo que em 2010 ela já constava na lista dos 20 autores de ficção mais influentes com menos de 40 anos. Como podem ver, seu currículo não é de se jogar fora...
Mas o que vem a ser este ensaio? Vamos primeiro definir o que vem a ser a palavra "Feminismo": "é um movimento social e político que tem como objetivo conquistar o acesso a direitos iguais entre homens e mulheres e que existe desde o século XIX."
O que acompanhamos ao longo das 46 páginas são ideias e experiências de Adichie em relação a ser mulher, o que vem a ser feminista. Esqueçam aquele esterótipo de mulheres duronas ou as radicais que acham que tudo é culpa dos homens. Para ela, não basta apenas lutar pela igualdade entre homens e mulheres, a questão é mais do que isso e eu concordo plenamente.
O problema não é só o fato de mulher ganhar menos ocupando a mesma função, ou a acumulação de tarefas domésticas ou qualquer dos vários problemas que estamos cansadas se saber. Isso vem desde a educação, quando "meninos" e "meninas" aprendem suas posições, direitos e deveres no mundo. É aqui, neste exato ponto que ela me conquistou de vez, pois penso exatamente a mesma coisa que ela.
Nós mulheres já somos criadas para sermos servis aos homens. Enquanto eles aprendem a brincar de bola, correr na rua, aprendemos a brincar de casinha, fazer comidinha...
Saiba mais ›
5 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Por Cliente Amazon em 28 de abril de 2016
Formato: Capa comum Compra verificada
Precisa ser lido por todos. Seu depoimento franco, simples, e com ótimos argumentos. A autora é objetiva, o que ela pede não é maior visualização ou grandes favores para as mulheres, e sim que elas sejam valorizadas pelo que elas são, para que tenham os mesmos direitos que os homens. A sociedade nigeriana lembra bastante a brasileira, seja em pequenos detalhes seja na atitude machista que ainda impera em pleno século XXI, mesmo entre as próprias mulheres...
5 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Formato: eBook Kindle Compra verificada
"Algumas pessoas me perguntam: “Por que usar a palavra ‘feminista’? Por que não dizer que você acredita nos direitos humanos, ou algo parecido?” Porque seria desonesto. O feminismo faz, obviamente, parte dos direitos humanos de uma forma geral — mas escolher uma expressão vaga como “direitos humanos” é negar a especificidade e particularidade do problema de gênero. Seria uma maneira de fingir que as mulheres não foram excluídas ao longo dos séculos. Seria negar que a questão de gênero tem como alvo as mulheres. Que o problema não é ser humano, mas especificamente um ser humano do sexo feminino. Por séculos, os seres humanos eram divididos em dois grupos, um dos quais excluía e oprimia o outro. É no mínimo justo que a solução para esse problema esteja no reconhecimento desse fato."
2 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Formato: eBook Kindle Compra verificada
A melhor forma para falar desse livro, são os quotes que separei.

E pense nisso: porque ao falarmos de um estupro, perguntamos como a mulher estava vestida e não falamos nada sobre o homem que fez isso?!

"só queria ilustrar como a palavra "feminista" tem um peso negativo: a feminista odeia os homens , odeia sutiã, odeia a cultura africana, acha que as mulheres devem mandar nos homens; ela não se pinta, não se depila, está sempre zangada, não tem senso de humor, não usa desodorante."

"Se só os homens ocupam cargos de chefia nas empresas, começamos a achar “normal” que esses cargos de chefia só sejam ocupados por homens."

"Por que o sucesso da mulher ameaça o homem?"

Mas por que ensinamos as meninas a aspirar ao casamento, mas não fazemos o mesmo com os meninos?"

“Feminista: uma pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos”."
1 pessoa achou isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Por Luisa Lima em 17 de julho de 2015
Formato: eBook Kindle Compra verificada
Esse discurso dela é incrível e deveria ser ouvido/lido por todos.
Abre os olhos para o quão libertado é o Feminismo e também mostra o que de fato querem(queremos) as feministas.
2 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Por Rebeca AVALIADOR TOP 1000 em 5 de setembro de 2016
Formato: eBook Kindle Compra verificada
É um livro que todos deveriam ler, pois trata de uma forma bastante interessante a questão cultural sobre o tratamento das mulheres e dos homens, levando em consideração apenas o gênero. Como é baseado na palestra que a autora fez no TEDxEuston, é curtinho (leva nem meia hora), mas deixa uma boa reflexão no ar: "A cultura não faz as pessoas, mas as pessoas fazem a cultura". Ou seja, cabe a nós mudarmos o pensamento sobre o assunto e o nosso modo de agir.
1 pessoa achou isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso
Formato: Capa comum Compra verificada
Apesar de ser uma edição simples, o conteúdo é primoroso. Numa adaptação da palestra do TEDXEuston, o livro traz excelentes relatos sobre a disparidade de gênero, abrindo os olhos de quem o lê. Ademais, é fonte de pesquisas para redações do tema. Uma das melhores leituras que realizei.
Chegou rápido e foi devorado tão rapidamente quanto chegou.
1 pessoa achou isso útil. Esta avaliação foi útil para você? Sim Não Enviando feedback...
Agradecemos pelos seus comentários.
Desculpe, o registro do seu voto falhou. Tente novamente
Informar abuso

Avaliações mais recentes de clientes

click to open popover