Baby amazon-prime-video Beauty Books Novo Kindle Paperwhite eBooks Kindle Cloud Drive Photos Electronics fashion Fire TV Stick home_improvement home_kitchen Office PC sports VideoGames wireless

Avaliações dos clientes

10 PRINCIPAIS AVALIADORES
18 de junho de 2016
“No mundo, sou como uma gota d’água que no oceano procura outra gota; em lá caindo para encontrar sua companheira, confunde-se (invisível, curiosa) consigo mesma”. Esta belíssima frase proferida por um dos personagens resume o fulcrum da peça: “se perder para poder se achar”. Método que Shakespeare vai utilizar também em outras peças, principalmente na última em “A Tempestade”. Ao procurar sua família, o personagem se perde, deixando de ser ele mesmo para assumir um novo papel. De certa forma, temos aqui a sago do indivíduo em busca de sua identidade, certo? A peça mostra os protagonistas enredados numa improvável situação: dois pares de gêmeos, separados na infância, e que agora estão numa mesma cidade, junto com seus pais (alerta de spoiler!). Essa estratégia de Shakespeare em juntar todos num mesmo lugar revela-nos o quanto pode ser frágil as identidades e os valores que escolhemos (i.e., aparências) como se fossem rochas. Com isso, o mundo dos personagens vira de cabeça para baixo: “todo mundo nos conhece, mas não conhecemos ninguém”, diz um dos gêmeos. A sensação do leitor é a de que todos beberam do cálice de Circe – aquela bruxa que transformava homens em porcos em “Odisseia”, de Homero. Enfim, temos aqui uma peça inverossímil, romântica e agradável, que têm como “pano de fundo” a rápida passagem do tempo.
0Comentar Informar abuso Link permanente

Detalhes do produto

4,8 de 5 estrelas
6
R$1,99