Avaliações dos clientes

15 de outubro de 2016
A história se passa em Porto Alegre durante um verão escaldante e uma greve do transporte público combinados a uma escalada de violência urbana, sentida na pele pelos três protagonistas que têm um amigo morto em um assalto.
Esses três personagens se revezam na narração da história, todos eles estão passando por momento de indefinição em suas vidas que somado a situação da cidade os levam a uma angústia, um sentimento de solidão e uma vontade de fugir dessa sensação de fim de mundo que não chega nunca.
Os três amigos, junto com o quarto que foi assassinado, conviveram durante a década de 90 enquanto estavam na faculdade e escreviam para um e-zine no início da internet. As narrativas relembram momentos desse período em especial a virada de 99 para 2000, quando também o mundo parecia poder entrar em colapso.
Uma das passagens mais marcantes pra mim é a apresentação do Antero, publicitário de sucesso, durante um TEDx, em que ele faz um paralelo entre o livro 120 dias de Sodoma, do Marquês de Sade, e a publicidade nos tempos de Big Data, onde somos monitorados em todas as ações e somos classificados por algoritmos. Algumas passagens do livro são lidas para a plateia, chocada com o que Sade escreveu há 200 anos atrás enquanto estava preso na Bastilha.
Os outros dois personagens também são muito interessantes e complexos. Aurora é uma bióloga pesquisadora que mora em São Paulo, seu trabalho com cana-de-açúcar busca aumentar produtividade da planta tentando entender seu ciclo de crescimento. O autor vai a fundo nos detalhes do trabalho e Aurora e nos conflitos de ser pesquisador no Brasil, mostrando que ele estudou o assunto para escrever. Emiliano é um jornalista que descobriu ser homossexual após adulto e tem uma relação conflituosa, um pouco masoquista, com outros homens em função disso, a narração do seu ponto de vista também é muito real e crua.
Mais um ponto positivo é o uso de referências contemporâneas como o próprio TEDx, o WhatsApp, o jogo Skyrim, um aplicativo de corrida para celular, entre outros, que alguns autores querem evitar por poder tornar o livro datado, porém torna a experiência mais próxima da nossa realidade.
Já li todos os livros do Galera, esse está no mesmo nível do Mão de Cavalo e do Barba. Mantém essa mesma relação de luta e cumplicidade entre o homem a natureza, que também está sempre presente nas nossas vidas.
3 pessoas acharam isso útil
0Comentar Informar abuso Link permanente

Detalhes do produto

3,9 de 5 estrelas
34 classificações de cliente
R$23,66