Avaliações dos clientes

29 de junho de 2019
Ó, meus irmãos! Hoje, vosso humilde narrador, irá falar um pouco sobre esta obra da sexta arte.
Alex DeLarge (um jovem de 15 anos), e seus três druguis, ou seja, Pete, Georgie e Tosko, são uma grupa de prestupniks que krastam, espancam, estupram todas as notchis, como uma espécie de hobby bolnói, apenas por diversão. Eles também costumam frequentar o Lactobar Korova, um mesto para pitar moloko com velocet, drencrom, sistemec, entre outras veshkas, já que não tinham autorização de vender álcool. Eles falam uma gíria chamada Nadsat, criada pelo autor, que é um misto de russo com inglês, o que a princípio causa um desconforto no leitor. Este desconforto é proposital, pois o autor quis passar essa sensação para quem estivesse lendo, uma imersão radical aos tempos sombrios que estão sendo descritos no texto. Nessa edição da Aleph, temos uma sessão de notas do tradutor que explica muito bem a origem da gíria, e a intenção do autor ao criá-la, também como um glossário no final. A recomendação é ler sem consultar o glossário, para cumprir a real intenção do autor.
Então, o que é que vai ser, hein?
Como dito anteriormente, este livro é bastante pesado, pois as atitudes do protagonista e de seus companheiros são realmente straks.
Uma tática que eles utilizavam era a de tocar a kolokol de uma casa pedindo socorro, com a intenção de invadir a casa e fazer o que bem entenderem. Em uma de suas noites, esta tática não funciona, e o Alex resolve escalar até o primeiro andar da casa para entrar pela okna, para assim abrir a porta para seus druguis. Porém, ao se deparar com a dona da casa, uma babushka, em um ato de provar sua perversão aos seus druguis, Alex resolve atuar sozinho. Seu plano não acontece como o esperado, e ele termina assassinando a coitada, mesmo que ?acidentalmente?, ele não demonstra nenhum remorso.
Nisso, seus druguis fogem, os miliquinhas chegam, e Alex vai lovetado. Após passar 2 anos preso, Alex continua com a mesma mentalidade, e apenas planeja a sua saída, onde espera se vingar de seus druguis traíras. Até chegar um certo dia, no qual há uma bitva em sua cela, e um pleni recém-chegado termina sendo morto pelo Alex.
Nessa época, estava rolando um comentário sobre uma nova forma de reabilitação que prometia liberar o preso, pronto para conviver em sociedade, em duas semanas. O diretor do presídio em questão ainda estava com receio de utilizar este novo método, mas após o ocorrido, ele vê aí uma oportunidade de pôr em prática.
Como é o método em questão: uma substância é aplicada na corrente sanguínea do ?paciente?. Esta substância o faz se sentir muito enjoado e sentir dores fortes no corpo todo. Com esta substância em seu sangue ele é levado a uma espécie de cine-cínico onde fica preso a uma cadeira, imobilizado, com um acessório que o impossibilita de fechar os olhos, de forma a ser obrigado a assistir o que está passando na telona.
Os filmes que ele é obrigado a assistir são cenas de ultraviolência, como estupro, espancamentos, tortura, incluindo cenas do campo de concentração nazista.
Então, o que é que vai ser, hein?
Este procedimento é feito inúmeras vezes ao decorrer de duas semanas, e isso faz com que seu corpo associe o mal-estar e as dores às cenas de violência, até que ele comece a sentir estes mesmos sintomas sem nem precisar mais injetar a substância. E neste momento ele estaria ?curado?.
Porém, este procedimento não o cura de fato. Ele é mandado de volta para a sociedade não como um cidadão renovado e pronto para viver sua vida normalmente, mas sim como algo que não um ser humano, um párea, pois ele não tem mais o poder da decisão, e como é dito em um trecho do livro, ?um homem que não pode escolher deixa de ser um homem?. Ele não consegue sentir raiva, não pode revidar, a única coisa que ele pode fazer agora é ?dar a outra face?, literalmente. Ele não consegue nem sequer pensar em pol, e até mesmo uma das coisas que ele mais gostava, que era a música clássica, o remete ao sentimento de dor e agonia, pois em alguns dos filmes era o tipo de música que tocava ao fundo.
Algumas palavras foram trocadas pela gíria Nadsat, para dar uma ideia da sensação de ler este livro, estas palavras foram: Druguis (Amigos), Grupa (Gangue), Babushka (Velha), Bitva (Luta), Bolnói (Doente), Cine-Cínico (Cinema), Velocet, Drencrom, Sistemec (Drogas Alucinógenas), Miliquinhas (Policial), Pitar (Beber), Pleni (Presidiário), Notchi (Noite), Kolokol (Campainha), Krastar (Roubar), Lovetar (Prender), Prestupnik (Criminoso), Okna (Janela), Straks (Horrível).
review image
1 pessoa achou isso útil
0Comentar Informar abuso Link permanente

Detalhes do produto

4,7 de 5 estrelas
572 classificações de cliente
R$17,45