Books eBooks Kindle eBooks Kindle Novo Kindle Oasis Cloud Drive Photos Electronics Fire TV Stick home_improvement HI Office PC videogames wireless

Avaliação de clientes

4,9 de 5 estrelas
122
Sobre a Escrita
Formato: Capa comum|Alterar
Preço:R$29,10+ Frete GRÁTIS em pedidos a partir de R$ 99 enviados pela Amazon


100 PRINCIPAIS AVALIADORESem 12 de novembro de 2016
As Dez Coisas que Amei em Sobre a Escrita (Do blog: Dez coisas que amei em você, link abaixo)

1. A primeira parte do livro King conta sobre sua vida. Sua infância nada fácil mas mega criativa, sua relação em família, e como ele se fez escritor. Gargalhei alto diversas vezes, tanto que meu filho quis saber o que era tão engraçado, e acabou lendo a primeira parte inteira também (ele tem 9 anos!).

2. A escrita de King é simples e eficaz. Jamais subestime o poder de um escritor que narra de tal forma que você não percebe que acabou de devorar um livro, e em nenhum momento – nenhum- foi distraído por uma escrita que parece escrita e não um verdadeiro encontro de almas. Poucos tem essa capacidade de fazer a narrativa fluir de tal maneira que você desliza por ela. Você mal percebe quando o livro chegou ao final.

3. O livro é uma mistura de memórias, dicas e diário, mas é também uma declaração de amor à sua esposa. Pode parecer forçado, com intenções de arrancar owwwws do leitor, mas ele coloca esse amor de uma maneira tão direta e justificada que me fez acreditar que meu próprio sucesso, se um dia chegar, também estará ligado àquele com quem divido a vida. Olha que lindo!

4. Quando ele começou a esboçar a história de Carrie, a estranha, (livro que o catapultou na carreira) achou que não estava bom e rasgou as 50 páginas que tinha escrito. Sua esposa recolheu as páginas do livro quando foi limpar o escritório , e o incentivou a levar a história adiante. Já no fim do livro ele comenta que todos os romances são cartas endereçadas a uma pessoa. Os dele são escritos para ela (sua leitora ideal).

5. Amei a maneira crua como ele contou sobre o problema de drogas que teve nos anos 80. Ele traça curiosamente um paralelo entre Misery (em português Misery: Louca Obsessão- livro onde um escritor é mantido refém no rancho de uma enfermeira psicótica), com a sua completa dependência da cocaína. Segundo ele, a enfermeira nada mais representava ali que a droga que o dominava. Achei brilhante transformar a dependência em uma história fabulosa, catarse (e sublimação) de primeira!

6. Amo que ele não doura a pílula ao apontar a leitura como a prática mais importante para um escritor. Parece óbvio? Pois é, não é. No mundo de hoje, em que vemos autores vomitando na mídia que não gostam de ler, reforçar o óbvio é necessário. Como alguém consegue se debruçar sobre um texto sem conteúdo? Como um autor ou autora seria capaz de conseguir dar conta de estilo, desenvolvimento de enredo ou criação de personagem sem ler? O que sai dali? Mas pelo jeito daquele lado do mundo também tem escritores que dizem não ter tempo para ler. O recado de King? Se você não tem tempo para ler, não tem tempo nem ferramentas para escrever.

7. Com quantos livros se faz um bom escritor? A média de leitura de Stephen King é alta, e sua dedicação à prática, severa. Ele lê livros em todos os lugares e ocasiões, devora setenta a oitenta deles por ano. Já pensou ler quase um livro e meio por semana?

8. Seus insights sobre a mente de um aspirante a escritor são fenomenais. Por exemplo, em algum momento ele diz: Quase Todo mundo se lembra de quando perdeu a virgindade , e a maioria dos escritores se lembra do primeiro livro que lhe trouxe à mente o pensamento: eu consigo fazer melhor do que isso. (Se você escreve, sabe do que ele está falando!)
Outro insight: Quando lemos, acabamos absorvendo o estilo do escritor que nos agrada. Esse tipo de fusão estilística, ele afirma, é necessária para o desenvolvimento do seu próprio estilo. (Ainda me lembro bem quando notei que havia misturado o estilo da rainha da literatura canadense à minha simplória fantasia adolescente. Não deu samba, e precisei modificar quase tudo.)

9. É maravilhoso ouvir alguém dar a fórmula de um romance melhor:

2ª versão = 1ª versão -10%

Isso serve para posts em blogs, resenhas, livros, matérias jornalísticas. Tudo parece melhor quando desinchado.

10. O melhor do livro para mim foi ser convidada a entrar na mente de um grande escritor e vê-lo contar, de maneira deliciosamente simples, como ele lida com a linguagem e como ela -a via pela qual essa arte floresce- não pertence apenas aos grandes. Somos todos contadores de histórias, oras. Alguns de nós melhores que outros, sim, mas há espaço para melhorar. Como sou das que acredita em esforço, o livro de King vem como um apoio- ou carta de autorização, como ele mesmo diz no final: Você pode, você deve, e se tomar coragem (ou persistir) para começar, você vai.
Venha conhecer nossas outras resenhas!
Link: [....]
review image
11 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 29 de janeiro de 2018
Stephen King teve a idéia de escrever um manual ou livro de dicas para escritores. Mas qual seriam suas credenciais para isso, uma vez que em termos de currículo acadêmico ele não teria cacife para isso?

A primeira metade do livro mostra seu currículo: a história de sua vida dedicada à literatura fantástica desde a infância. A segunda metade traz a parte de manual, com dicas práticas que aprendeu com diversos mestres e também, novamente, com uma vida dedicada à literatura.

A forma como King nos apresenta sua biografia é maravilhosa, e as dicas mais ainda, mas, a biografia por si só já valeria esse livro.

Mais que recomendado!
3 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORESem 28 de julho de 2017
Não sou leitor de Stephen King.Este foi o primeiro livro dele que li. E é tão bom, tão bom, que fiquei afim de ler outros livros dele, mesmo sem que seus temas de horror, violência e sobrenatural me interessem. "Sobre a Escrita" são vários livros em um, que se harmonizam por tratarem do ofício de escrever. É uma deliciosa narrativa autobiográfica que conta sua trajetória até a publicação do primeiro livro e a fama e também um excelente manual sobre como escrever um bom texto literário, sem ser um ensaio acadêmico pesado.
3 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORESem 1 de junho de 2015
Uma das obras "não ficção" ( pelo menos em parte ) do conhecido escritor americano Stephen King mais próximas do leitor brasileiro aspirante a escritor é uma experiência de imersão em escrita criativa que pode valiosa. Ao tempo que imerge vagarosamente o leitor em sua vida pessoal de forma biográfica de forma muito bem humorada, King passa em revista os principais pontos sobre os conceitos motrizes ( para ele ) sobre o oficio de escrever. Não é um livro "how to", nem mesmo muito fácil em alguns trechos "técnicos", porém ainda sim é um livro que merece ser lido sem pressão ou cobranças de uma oficina criativa que pode ser muito útil para alguns jovens escritores. Leia sem "medo", diria Stephen King, mestre no assunto.
5 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
1000 PRINCIPAIS AVALIADORESem 26 de novembro de 2017
Sobre a Escrita é um livro divertido. Comecei a lê-lo apostando que seria um guia faça-isso-não-faça-aquilo, isso até acontece, mas não de maneira sacal. Mesmo nos momentos mais técnicos, Stephen ensina com ótimo humor, e isso drena toda a chatice que poderia surgir num guia sobre escrever.

King inicia o livro com uma breve autobiografia que chama de “currículo”. Nessa parte ele escreve sobre sua vida focando no seu lado escritor, desde garoto, quando começou a escrever no jornalzinho do irmão e para o jornal da escola, onde chegou ao posto de editor - nem um pouco econômico com sátiras e chacotas - tornando-se *persona non grata* para o corpo docente.

Na segunda parte, ele trata das ferramentas e métodos de construção para uma boa ficção. Neste ponto, poderíamos ter um texto técnico, mas não é. Ele instrui o leitor a pensar como escritor, mostra exemplos claros, comentando-os como faria num bate-papo informal com um amigo. Depois de começar, é difícil largar; depois de concluir, é difícil não querer escrever.
2 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 6 de junho de 2017
Este livro superou minhas expectativas que já eram grandes.
Não sou fã do tipo de ficção do King, mas o cara sabe como narrar, e os filmes "A espera de um milagre" e "Um sonho de liberdade", ambos baseados em histórias suas, despertaram minha atenção para o escritor.
Comprei o ebook que me rendeu deliciosas horas. É como estar conversando com um amigo mais velho que conta sobre sua vida, desafios, dores, alegrias, superações, e que ainda pra mais, compartilha com muito carinho e boa vontade seus insights e experiências sobre sua arte.
Livro bom de se ler para qualquer um, escritor ou não.
2 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 17 de novembro de 2015
King é sempre uma surpresa boa. "Sobre a escrita" é um livro pra devorar em um par de horas, e depois se arrepender por não ter lido mais devagar. Mas, na verdade, é impossível ler devagar, não dá pra pausar a leitura. Um excelente livro, com uma escrita deliciosa (como King sempre tem). E com ótimas dicas, mesmo pra quem não pretende escrever, além de trazer uma série de dados novos sobre a vida do próprio King e suas inspirações.
Mudou minha forma de ver vários outros livros que já havia lido dele, pois ele conta os períodos em que escreveu certos livros, e que sentidos ele imprime às suas obras. Fascinante.
O atendimento e entrega da Amazon, como sempre, impecável.
3 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 15 de julho de 2017
Sobre a escrita, é uma excelente obra que nos mostra um pouco da vida pessoal do autor, e ao mesmo tempo nos ensina como foi seu processo de evolução como escritor.

As partes de que mais gosto são as do "currículo", onde ele conta sua longa jornada que formou seu caráter e principalmente seu gosto pessoal por histórias de terror.

Também gosto muito da parte mais técnica, onde ele dá excelentes dicas sobre o que cortar fora, além do excelente exemplo no final do livro, com uma história "crua" e suas anotações para a versão dois.

Recomendo para todos os que desejam se tornar escritores mais competentes, ou para os que, assim como eu, desejam finalmente começar a escrever com um pouco mais de profissionalismo.
1 pessoa achou isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 4 de março de 2018
Em termos estruturais e de conteúdo, outros avaliadores já desempenharam uma ótima função e me repetir seria fútil. Por isso, aqui vão algumas percepções colaterais:

Nunca li uma obra de Stephen King, não sou muito afeito a ficção, ou não era. Mas ler uma obra de não-ficção escrita por um contador de histórias é uma experiência singular.

O livro modificou minha concepção de ficção, me fez perceber toda a grandeza incrustada nessa arte e, muito provavelmente, irei reconhecer esta leitura como um divisor de águas em minhas experiências literárias.

Stephen King sabe muito bem integrar elementos de humor e ironia ao conteúdo, e isso deixa a leitura muito mais espontânea e divertida. As gargalhadas durante a leitura não foram eventos raros.

A obra é rica em ensinamentos, que vão muito além da escrita. Algumas partes do livro contribuíram para questões existenciais pessoais, como o trecho em que o autor explora a relação entre a produção artística e o uso de drogas.

Enfim, é uma leitura que informa, entretém e inspira. Recomendo-a tanto aos que se interessam pelos bastidores da produção do autor, quanto aos que pretendem revolucionar seu olhar mental sobre a leitura e a escrita.
1 pessoa achou isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 4 de março de 2016
Um dos melhores livros de minha vida. Um livro que certamente voltarei a ler inúmeras vezes. A melhor compra que fiz até hoje. King abre a porta de sua casa e nos convida a conhecer sua vida. É como se ele estivesse em uma mesa de bar batendo um papo com a gente. Terminamos os livros com uma sensação de sermos amigos íntimos. Recomendo a todos, mesmo para aqueles que não querem ser escritores.
2 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso