Amazon Prime Video Books eBooks eBooks Kindle Kindle Direct Publishing Kindle Paperwhite Cloud Drive Photos TV Fire TV Stick Kitchen Informática Videogame Celular



50 PRINCIPAIS AVALIADORESem 1 de maio de 2016
Apesar de o livro ter sido publicado a quase 10 anos e, assim, conter os dados matemáticos atualizados até o ano de 2006 e também de fazer projeções futuras sobre anos de governos que já passaram, o livro é extremamente claro e não poderia ser mais atual. Digo isso, porque as principais mazelas apontadas pelo autor na área jurídica, nos planos de governo e própria mente do povo brasileiro por conta de raízes e heranças culturais, continuam sendo as mesmas que tanto atrapalham o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Além disso, os caminhos apontados pelo autor para a superação dos principais obstáculos visando a aceleração do crescimento do Brasil em todas as áreas continuam sendo absolutamente válidos e atuais. O livro me ajudou grandemente a entender um pouco melhor o contexto do Brasil e as razões da nossa situação atual, bem como as perspectivas futuras no caso de mudança ou no caso da insistência nos mesmos erros e visões atrasadas. Várias partes do livro merecem ser relidas de tempos em tempos. Seria muito bom se pudéssemos ter uma nova publicação atualizada. Recomendo a leitura a todos aqueles que têm verdadeiro interesse no bem do Brasil. Não adianta ter boas intenções, é preciso conhecer a situação real do ponto de vista técnico e isento de emoções e ideologias claramente ineficazes.
0Comentar| 3 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 25 de março de 2014
O livro de um modo geral é interessante, o autor tenta desmitificar e desconstruir alguns pensamentos prontos que temos quando nos questionamos sobre o porque de alguns atrasos, principalmente na economia brasileira. O autor coloca a culpa principalmente na Constituição de 88 e depois vai desconstruíndo algumas premissas que ele mesmo chama de vacas sagradass como ex.: a dívida externa, o FMI, a Previdência e etc. Através de uma posicionamento liberalista ele faz uma retomada que vai de 88 a 2006.
3 Prós:
- Abordagem direta dos temas
- Ataca sem medo o que ele considera as Vacas sagradas
- Ao final dos capítulos existem (por vezes)uma espécie de síntese
3 Contras:
-Em alguns momentos o autor parece desconsiderar que leitor pode não ter alguns fundamentos da economia (mas nao atrapalha a leitura)
- As tabelas,algumas vezes extensas (embora necessárias para comprovas com números o que ele diz (acho que ele se preocupa muito com isso)
- Gostaria de ter lido o livro em 2006, gostaria de saber alguns posicionamentos do autor em relação aos anos que sucederam 2006,mas ele realmente se preocupa com as Raízes dos problemas!
0Comentar| 26 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORESem 29 de junho de 2017
Um livro escrito em 2006 e continua atual. Muito daquilo que está em pauta em 2017, apesar da crise econômica/politica ao qual atravessamos, está contido neste livro, como por exemplo: previdência, reforma trabalhista, Estado protecionista e assistencialista.

Infelizmente somos lentos. Há 11 anos somente falamos e falamos, sabe que temos problemas mas parece que nós esperamos um salvador ou milagre para resolver nossos problemas. Stanislaw Lec certa vez citou que:"nenhum floco de neve se sente responsável pela avalanche".

O autor preocupou-se em citar fontes verificáveis e propor algumas saídas/soluções, entretanto nem todas eu concordo. Mas ao menos é melhor do que ficarmos mais 11 anos discutindo.

Vale a pena ler em conjunto o livro Guia Politicamente Incorreto dos Presidentes da República, apesar de focar em alguns presidentes, vale a leitura para observar o pano de fundo de como foi construído o nosso país e notar que muitos dos problemas atuais foram herdados há muito tempo atrás.

Guia Politicamente Incorreto dos Presidentes da República
0Comentar|Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
50 PRINCIPAIS AVALIADORESem 30 de agosto de 2016
O livro é de 2007, e eu o li na época. É leitura indispensável para quem quer discutir o brasil seriamente.

Os problemas passam ao largo pelas escolhas eleitorais. É muito mais sério do que isso. São, como o autor diz, as "as vacas sagradas" do pensamento brasileiro que não nos deixam sair do atoleiro.

O autor tem livros mais recentes, que ainda não li, mas folheei. São mais ou menos as mesmas idéias. O Brasil muda muito lentamente.
0Comentar| 1 pessoa achou isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 18 de abril de 2014
Lançado em 2007, claro que "Brasil: Raízes do Atraso" não poderia levar em conta o que aconteceu no país no segundo mandato do governo Lula e no atual mandato (primeiro ou único?) de Dilma Roussef. No entanto, após ler o livro, a certeza que fica é que, de 2007 para cá, as citadas raízes se tornaram ainda mais profundas. Fica claro que o que aconteceu nos últimos anos resultou da opção dos citados governantes em repetir fórmulas que, se podem trazer bons resultados nas urnas, pois agradam expressiva parcela do eleitorado, também podem comprometer o desempenho econômico do país.

Com linguagem clara, franca e bem humorada, apoiado por dados econômicos demonstrados em muitos gráficos e tabelas (que infelizmente ficam muito longe dos comentários correspondentes no texto), o autor aponta os principais problemas de ordem econômica que, em sua visão, impedem o Brasil de alcançar, de forma consistente, os desejados níveis de crescimento econômico (digamos, de pelo menos 4% do PIB). Com os índices decepcionantes dos últimos anos (até constrangedores para alguns destacados membros do governo), a discussão séria dos problemas apontados pelo autor vem se tornando cada vez mais urgente, e o livro fornece boa fundamentação para que qualquer pessoa com um mínimo de interesse em assuntos econômicos possa formar sua opinião.

Mas é bom alertar que muitos leitores podem experimentar conflitos interiores em relação a diversas ideias defendidas pelo autor, já que, no centro da polêmica, sintetizada no subtítulo "Paternalismo versus Produtividade", está a oposição entre, de um lado, o modelo escolhido para nossa aposentadoria, direitos trabalhistas e os diversos programas de assistência social e distribuição de renda e, de outro, a fria, embora almejada, performance econômica.

Os capítulos introdutórios são dedicados a descrever o medíocre crescimento da economia brasileira entre os anos de 1980 e 2006; defender que vilões consagrados como o FMI, a dívida pública e os juros elevados não são a real causa dessa estagnação (herege!!); e explicar por que o modelo econômico argentino não serve para o Brasil (eu disse que o livro está um pouco desatualizado - hoje ninguém se preocuparia com essa questão).

Depois, o autor passa a analisar em detalhe dez fatores que estariam na origem desse desempenho econômico decepcionante, que ele denomina "Vacas Sagradas", para as quais também apresenta propostas de solução: o reajuste do salário mínimo acima do PIB; as distorções na previdência social; o assistencialismo "exacerbado"; os direitos dos "incluídos" (trabalhadores com emprego formal); as vinculações orçamentárias; a defasagem da TJLP (taxa de juros de longo prazo) em relação à Selic; as transferências de recursos a estados e municípios frente às diferenças nos objetivos dos diversos entes federados; a taxação "excessiva" do capital; o protecionismo no comércio exterior; e, por fim, o viés anticapitalista do cidadão brasileiro.

Claro que se pode discordar de diversos pontos de vista defendidos pelo autor, e os últimos anos provaram que as soluções sugeridas por ele não encontraram grande respaldo, seja no eleitorado, seja nas lideranças políticas que alcançaram o poder. Mas eu recomendaria o livro mesmo para quem discorda das ideias nele defendidas (talvez especialmente para estes), já que todos que estão preocupados com os rumos do Brasil devem fundamentar muito bem sua opinião, e ter clareza do que se quer e do que se pode alcançar com as escolhas que estão sendo feitas pelos nossos líderes eleitos.
0Comentar| 12 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 5 de maio de 2017
O livro é atual, isso implica que continuamos atrasados. Melhor, 3 horas em Nova York ainda é 1950 no Brasil.
0Comentar| 1 pessoa achou isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 7 de setembro de 2016
Livro dispensável. Em 2007, quando foi escrito, já era superficial e anacrônico. Atualmente, após as recentes crises mundiais provenientes do pretenso modernismo defendidos na obra, é ultrapassado. O autor adota a prática de não ser claro em várias passagens para confundir o leitor e transferir para este a responsabilidade pela intencional limitação intelectual presente na obra. Perda de tempo. Melhor ler Delfim Neto.
0Comentar|Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 22 de dezembro de 2014
Apesar de um pouco antigo, infelizmente não se encontra desatualizado. As vacas sagradas continuam pastando pelo Brasil. O autor foi bem claro que, sem as devidas reformas, uma mudança no mercado externo seria muito prejucial ao Brasil. Destaco no livro o discurso direto e a parte sobre a Argentina. Os gráficos para a versão kindle deixam a desejar. Se a pessoa não tiver uma base em economia, pode-se sentir perdida em alguns trechos.
0Comentar| 4 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 1 de julho de 2014
Apesar das questões mais técnicas, o livro permite bom entendimento para não economistas. O livro com certeza auxilia os leitores para obterem melhor conhecimento do que precisamos fazer se quisermos que o país cresça e seja um país melhor!
De encontro ao escopo do livro, lembro-me de frase de Rolim Amaro, fundador da TAM: "Planejamento futuro requer sacrifício no presente"
0Comentar| 2 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso
em 28 de abril de 2014
O texto claro e direto revela parte dos motivos do péssimo modelo de desenvolvimento do país. Seja pela total falta de planejamento dos nossos administradores e principalmente pela miopia política (proposital ou não) do grupo de políticos que escreveram a nossa Constituição de 1988, cujo paternalismo e demagogia produziram uma bomba relógio, muito bem descrita nesta obra do economista Giambiagi.
0Comentar| 7 pessoas acharam isso útil. Esta avaliação foi útil para você?SimNãoInformar abuso

Os clientes também visualizaram estes itens:

Complacência
R$30,20
Protocolo TCP/IP
R$176,80

Precisa do serviços de atendimento ao cliente? Clique aqui