Books eBooks Kindle eBooks Kindle Kindle Cloud Drive Photos Electronics Fire TV Stick home_improvement HI Office PC videogames wireless



em 10 de janeiro de 2015
Esse livro não é apenas o relato de um soldado qualquer da guerra mas sim do mais letal atirador de elite americano. Ele nos permite acompanhar por seus olhos, seu ponto de vista a guerra que se passa ao seu redor. A sua mulher ainda contribui com detalhes importantes que se passava na vida do casal. Só perdeu uma estrela porque a edição digital está recheada de erros de digitação. Repórter todos que vi e espero que corrijam.
12 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORESem 5 de março de 2017
EXCELENTE !!!
Jamais imaginei como poderia ser a vida de soldados americanos, (e outros), envolvidos nas guerras do Iraque, Vietnan, e similares.
Também, não tinha a menor ideia de como funciona a interação da vida no campo de batalha e a familiar.
A superação após a baixa das fileiras militares e seus traumas, para mim, foram desvendadas como a maior clareza, e pude avaliar quão difícil é.
Enfim, a leitura deste livro, é simplesmente fantástica....
Dá para imaginar como é a vida de nossos soldados brasileiros a serviço das forças de paz espalhadas pelo mundo.
1 pessoa achou isso útil
|0Comentar|Informar abuso
100 PRINCIPAIS AVALIADORESem 7 de abril de 2015
O livro é composto por uma narrativa simples, mas bem construída de eventos vividos no calor de batalhas sangrentas no Iraque, mas fala também do cotidiano dos soldados americanos nessa guerra. A participação de sua esposa na redação do texto, com depoimentos de sua impressão e das dificuldades em viver um relacionamento equilibrado com um soldado em guerra, deixa o texto mais rico. O que mais me chamou a atenção foi a forma como ele expõe sua visão do inimigo, via de regra como a encarnação da maldade e a crença risível de que estavam envolvidos numa missão de libertação do povo iraquiano das mãos desse grupo de pessoas más. Os termos pejorativos para tratar do cidadão comum do Iraque, mostram bem a convicção de considerarem-se superiores em tudo a aquele povo. Não é um livro fantástico, mas é interessante pela experiência antropológica.
3 pessoas acharam isso útil
|11 comentário|Informar abuso
em 25 de julho de 2015
O Filme quase só tem em comum com o livro o título. Li primeiro e depois quis conferir o filme, sendo o filme um versão hollywood bem fantasiosa e que consegue a meta de expectadores. O livro tem outro viés, sendo de escrita informal, fácil e que flui muito bem, quase como uma conversa de mesa de bar.
Trata-se de uma vista de um ponto do ocorrido, a versão do soldado executor que tem "certezas absolutas". Não há a estratégia da guerra, o perfeccionismos e intervenção cirúrgica que se vende das tropas de leite e nem as dúvidas do ser humano, pelo contrário o livro é movido pela vontade, de certa forma afoita do querer revolver a qualquer custo, o estilo "rambo de ser", a visão que qualquer oficial ou a inteligência só estão lá para atrapalhar. Fica claro com são treinados para a certeza e o "missão dada missão cumprida". Nos ajuda também a entender o nacionalismo norte americano, que nos chama atenção mesmo para quem morou lá, frente a nossa relação como o Brasil.
2 pessoas acharam isso útil
|0Comentar|Informar abuso
1000 PRINCIPAIS AVALIADORESem 20 de fevereiro de 2015
Com uma narrativa rápida e detalhada de alguns episódios de sua trajetória nos Seals, Chris Kyle escreve desde os momentos anteriores ao seu treinamento,as batalhas no Iraque até os tempos após deixar o serviço militar.

O livro também conta com algumas opiniões de sua esposa em relação aos fatos que envolviam a vida do atirador seja nos campos de batalha ou na sala de casa.

Além das aventuras, outro ponto que achei interessante no livro são os aspectos do patriotismo americano que levaram Kyle a lutar em terras distantes para defender seu país.

Embora muitos considerem uma "propaganda americana" - e talvez tenha um pouco disso no livro - gostei no final das atitudes relatadas pelo autor que ele fez (ou planejava fazer) em prol dos veteranos que lutaram pelo país. Acredito que aqueles exemplos valem para qualquer nacionalidade.
1 pessoa achou isso útil
|0Comentar|Informar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORESem 3 de março de 2015
Uma visão de dentro do dia-a-dia da eilte da marinha americana, num estilo bem fácil e direto ao ponto como em geral são os militares. Lembra bastante "A Elite da Tropa" tanto pela parte de treinamento quanto as ações. É incrível o quanto esses caras se dedicam e gostam da guerra colocando tudo na vida para segundo plano. Uma visão antagônica com livros como "Nada de novo no front" onde a guerra só traz dor e sofrimento aos que tem que participar dela. Talvez a diferença de poder entre os americanos e os iraquianos contribua pra essa idéia de guerra divertida.
|0Comentar|Informar abuso
em 5 de julho de 2016
Pra quem quer uma visão descontraída e sincera do campo de batalha é leitura obrigatória. O modo como Chris Kyle descreve os acontecimentos de sua vida na Marinha, especialmente na guerra no Iraque é muito envolvente e prende a atenção.
Não recomendado para quem tem algumas ressalvas com morte e afins, o livro trata da realidade da guerra. Em que pese o autor não se prender aos detalhes sangrentos da batalha, invariavelmente o leitor se deparará com algumas cenas que podem causar algum desconforto.
1 pessoa achou isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 23 de abril de 2017
O livro é incrível!
Resolvi lê-lo após assistir o filme homônimo, e usarei a frase clichê: o livro é bem melhor que o filme.
História emocionante, envolvente e surpreendente. Escriga simples e direta, ótimo para passar o tempo e conhecer mais sobre história militares. Excelente livro para amantes do tema.
1 pessoa achou isso útil
|0Comentar|Informar abuso
em 1 de março de 2015
Não é sem razão que este livro rendeu um belo roteiro cinematográfico, e um bom filme pelas mãos do diretor Clint Eastwood, que acabou sendo um dos indicados ao Oscar de melhor filme.
Uma excelente, simples, e contundente narrativa, da vida de um cidadão médio norte-americano, que sendo um militar especializado (Seal) viveu os horrores da guerra no Iraque, tendo realizado 4 turnos naquele período, e sendo o atirador de elite (sniper) com o maior número de mortes computadas em sua ficha até hoje.
Kyle era um típico cowboy do Texas, com os valores sociais básicos de referência para o cidadão americano. O livro é bem direto e simples, daí vem a sua força de narrativa.
|0Comentar|Informar abuso
em 9 de maio de 2017
Realmente uma autobiografia que dá gosto de ler!

Ele conta com uma precisão impressionante, desde sua época de infância, seus primeiros trabalhos em
alguns ranchos do Texas, a entrada e treinamento nas forças armadas até a ida na Guerra do Iraque!

Muito bom mesmo, ainda conta com detalhes as armas, os veículos e aeronaves de guerra, os principais equipamentos utilizados.

Muito bom.
|0Comentar|Informar abuso