Faça download dos Aplicativos de Leitura Kindle Gratuitos e comece a ler eBooks Kindle nos mais populares smartphones, tablets e computadores pessoais. Para enviar o link de download para seu smartphone por SMS, use o formato internacional sem espaços (Código Internacional+DDD+Número. Exemplo: +551199999999)

  • Clique aqui para baixar a versão iOS do aplicativo
    Apple
  • Clique aqui para baixar a versão Android do aplicativo
    Android
  • Clique aqui para baixar a versão Windows Phone do aplicativo
    Windows Phone
  • Clique aqui para baixar a versão Android pela Amazon Appstore
    Android

Para receber o link de download digite seu celular:

kcpAppSendButton

Opções de Compra

Preço digital sugerido: R$ 32,99
Preço Kindle: R$ 20,78

Economize
R$ 25,22 (55%)

Essas promoções serão aplicadas a este item:

Algumas promoções podem ser combinadas; outras não são elegíveis. Para detalhes, por favor, acesse os Termos e Condições dessas promoções.

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

<Incorporar>
Anúncio do aplicativo do Kindle
O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler por [Ben Urwand, Luis Reyes Gil]

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler eBook Kindle

4,6 de 5 estrelas 28 classificações

Ver todos os formatos e edições Ocultar outros formatos e edições
Preço
Novo a partir de Usado a partir de
Kindle
R$20,78


eBooks 24h
eBooks em oferta na Loja Kindle
eBooks promocionados por 24h: inscreva-se e não perca nenhuma oferta.

Descrição do produto

Resenha Especializada

Pesquisador detalha o acordo entre a Alemanha nazista e os grandes estúdios de Hollywood, que, nos anos 1930, se comprometeram a se omitir sobre o governo de Adolf Hitler e a perseguição aos judeus Na década de 1930, para continuar a fazer negócios na Alemanha após a ascensão de Hitler ao poder, os estúdios de Hollywood concordaram em não produzir filmes que atacassem os nazistas ou que condenassem a perseguição aos judeus. Em O pacto entre Hollywood e o nazismo, que ganha nova edição, o mestre em comunicação e especialista em cinema Ben Urwand revela pela primeira vez esse acordo – uma “colaboração” que envolveu um elenco de personagens que ia desde conhecidos líderes alemães, como Goebbels, até ícones de Hollywood, entre eles o influente diretor do estúdio Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), Louis B. Mayer. Após a leitura deste livro, será impossível assistir aos clássicos da Era de Ouro do cinema americano com os mesmos olhos. No centro da história de Urwand está o próprio Hitler, que era obcecado por filmes e reconhecia seu grande poder para moldar a opinião pública. Em dezembro de 1930, o partido promoveu manifestações contra a projeção em Berlim do longa Nada de novo no front, o que desencadeou uma série de eventos e decisões infelizes. Temendo perder acesso ao mercado da Alemanha, todos os estúdios de Hollywood fizeram concessões ao governo alemão e, quando Hitler chegou ao poder, em 1933, os estúdios – muitos deles chefiados por judeus – passaram a negociar diretamente com seus representantes. Urwand mostra que esse arranjo foi mantido durante toda a década de 1930, e que os estúdios se reuniam regularmente com o cônsul alemão em Los Angeles para mudar ou cancelar filmes segundo a vontade dele. Grandes estúdios como a Paramount e a Fox investiram os lucros obtidos com o mercado alemão em noticiários daquele país, enquanto a MGM financiou a produção de armamentos para a Alemanha. O autor conta que, no decorrer de sua pesquisa, uma palavra se repetia: “colaboração” (Zusammenarbeit). “E, aos poucos, ficou claro que essa palavra descrevia com precisão o arranjo particular entre os estúdios de Hollywood e o governo alemão na década de 1930”, escreve. “Do mesmo modo que outras companhias americanas, como IBM e General Motors, os estúdios de Hollywood colocavam o lucro acima dos princípios em sua decisão de fazer negócios com os nazistas. Eles injetaram dinheiro na economia alemã, numa variedade embaraçosa. Mas, como o Departamento de Comércio dos Estados Unidos reconheceu, os estúdios de Hollywood não eram simples distribuidores de bens; eram provedores de ideais e cultura. Tinham a oportunidade de mostrar ao mundo o que realmente acontecia na Alemanha. Nisso o termo “colaboração” assumia seu pleno significado.” A partir da pesquisa minuciosa em documentos nunca antes examinados, O pacto entre Hollywood e o nazismo levanta a cortina de um episódio da história de Hollywood – e dos Estados Unidos – que permaneceu oculto por muitas décadas. “Ben Urwand apoia-se numa farta documentação nunca antes citada para argumentar que os estúdios de Hollywood, num esforço para assegurar aos seus filmes o mercado alemão, não só se submeteram à censura nazista como cooperaram de modo ativo e entusiasmado com o esforço global de propaganda daquele regime.” — The New York Times “Um estudo esclarecedor sobre Hollywood e a elite nazista... Este livro revela uma história que macula o brilho da era dourada do cinema. Urwand realizou uma pesquisa incansável de arquivos, citando cartas, memorandos e reportagens de jornal, revelando uma vergonhosa política de concessões por parte dos chefes dos grandes estúdios. E o que dá à história uma ironia especial é que esses chefes, que fizeram de tudo para se conciliar com a enlouquecida ideologia do nazismo, eram eles mesmos, em sua maioria, judeus.” — The Guardian --Este texto se refere à edição paperback.

Sobre o Autor

Ben Urwand é junior fellow (nomeação dada a acadêmicos de grande destaque e com excepcional habilidade intelectual) da Society of Fellows, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. É mestre em cinema e estudos de comunicação pela Universidade de Chicago e doutor em história dos Estados Unidos pela Universidade da Califórnia. Nasceu em Sydney, Austrália. --Este texto se refere à edição paperback.

Detalhes do produto

  • ASIN : B07WFXYTCY
  • Editora : Leya (10 setembro 2019)
  • Idioma : Português
  • Tamanho do arquivo : 6487 KB
  • Leitura de texto : Habilitado
  • Configuração de fonte : Habilitado
  • Dicas de vocabulário : Não habilitado
  • Número de páginas : 437 páginas
  • Avaliações dos clientes:
    4,6 de 5 estrelas 28 classificações

Avaliação de clientes

4,6 de 5 estrelas
4,6 de 5
28 classificações globais
5 estrelas
83%
4 estrelas
10%
3 estrelas 0% (0%) 0%
2 estrelas 0% (0%) 0%
1 estrela
7%
Como as classificações são calculadas?

Principais avaliações do Brasil

Avaliado no Brasil em 3 de dezembro de 2019
8 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
Avaliado no Brasil em 25 de novembro de 2019
4 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
Avaliado no Brasil em 10 de janeiro de 2020
2 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
click to open popover